domingo, 24 de fevereiro de 2013

FUTUROS MÉDICOS QUEREM APRENDER MAIS SOBRE TERAPIAS ALTERNATIVAS E COMPLEMENTARES

Três em cada quatro estudantes de medicinaacreditam que a medicina ocidental tradicional pode se beneficiar com a integração das terapiase das práticas das medicinas complementar e alternativa [Wikimedia/Yihungkuo]

Confiança as terapias alternativas 
Na maior pesquisa sobre o assunto feita até hoje, pesquisadores da Universidade 
da Califórnia, nos Estados Unidos, levantaram as atitudes e a confiança que os estudantes de medicina têm em relação à Medicina Complementar e à Medicina Alternativa.

Eles descobriram que três em cada quatro estudantes de medicina acreditam que 
a medicina ocidental tradicional pode se beneficiar com a integração das terapias 
e das práticas das medicinas complementar e alternativa (MCA - Medicina Complementar e Alternativa).

Fenômeno global 
"A Medicina Complementar e a Medicina Alternativa estão recebendo cada vez mais atenção em função da crise global de saúde e do papel significativo da medicina em suprir as necessidades de saúde pública nos países em desenvolvimento", afirma o Dr. Ryan Abbott, um dos autores do estudo.

"A integração das MCA nos cuidados da saúde é hoje um fenômeno global, com os tomadores de decisões políticas de mais alto nível endossando a importância de uma forma historicamente marginalizada de cuidar da saúde," acrescenta ele.

Medicina Complementar e Medicina Alternativa 
A MCA, que inclui terapias como massagens, ioga, acupuntura, fitoterapia e várias outras práticas, muitas herdadas da tradição oriental da medicina, é caracterizada por uma abordagem holística e altamente individualizada para o atendimento ao paciente.

Segundo os pesquisadores, o que diferencia as práticas médicas conhecidas como Medicina Alternativa e Medicina Complementar é a ênfase: na maximização da capacidade natural do corpo para se curar; no envolvimento dos pacientes como participantes ativos nos cuidados da própria saúde; na abordagem dos aspectos físicos, mentais e espirituais da doença; e nos cuidados preventivos.

Terapias alternativas nos cursos de Medicina 
Embora o interesse nestas áreas venha aumentando dramaticamente nos últimos anos, as informações sobre essas terapias ainda não são integradas de forma mais ampla no ensino médico.

"Mesmo com a alta prevalência de uso das MCAs hoje, a maioria dos médicos ainda sabe muito pouco sobre as formas não-convencionais de medicina", diz o Dr. Michael S. Goldstein, coautor do estudo. "Investigar as atitudes e o conhecimento dos estudantes de medicina sobre o assunto vai nos ajudar a avaliar se isso pode mudar no futuro."

Os pesquisadores descobriram que, embora os estudantes de medicina endossem a importância da medicina complementar e alternativa, ainda existem obstáculos que podem impedir os futuros médicos de recomendar estes tratamentos aos seus pacientes.

O que os estudantes de medicina acham das terapias alternativas Veja os principais resultados da pesquisa:

77 por cento dos participantes 
concordaram em certa medida que os pacientes cujos médicos sabem sobre a medicina complementar e alternativa, além da medicina convencional, beneficiam-se mais do que aqueles cujos médicos só estão familiarizados com a medicina ocidental.

74 por cento dos participantes 
concordaram em alguma medida que um sistema de medicina que integre terapias 
da medicina convencional, complementar e alternativa, seria mais eficaz do que qualquer uma dessas abordagens oferecida de forma independente.

84 por cento dos participantes 
concordaram em certa medida que o campo contém crenças, pontos de vistas, ideias e terapias das quais a medicina convencional poderia se beneficiar.

49 por cento dos estudantes de medicina 
afirmaram que eles próprios já usaram tratamentos complementares e alternativos; no entanto, poucos recomendariam a utilização destes tratamentos na sua prática médica até que mais uma melhor avaliação científica de cada procedimento tenha sido feita.

Terapias alternativas no currículo de Medicina 
Embora mais da metade de todas as escolas de medicina dos Estados Unidos atualmente ofereça algum tipo de curso enquadrado dentro das MCA, os pesquisadores afirmam que estes cursos podem ser ampliados ou incorporados 
no currículo formal e padronizado do curso de Medicina.

Redação do Diário da Saúde

Nenhum comentário: