domingo, 6 de fevereiro de 2011

LIBERTAÇÃO DO PODER FEMININO

O poder pessoal é assinalado por carisma, por simpatia, em suma, pela manifestação de uma força interior que se faz sentir pela personalidade marcante, mas sem domínio ditatorial, ou coisa equivalente, e esse poder a mulher sempre possuiu, mas que foi recalcado e ela por ignorar certos princípios é quem mais contribui para a continuação do processo, e o pior tem sido cada vez mais alimentado por múltiplos meios de informação.

A subalternidade feminina tem como causa a perda do poder místico resultante da negação de sua própria condição expressa pela menstruação, gestação e menopausa. A mulher para se libertar da condição de submissão e de menosprezo primeiramente necessita resgatar o poder que nela foi reprimido,  se tratam de normas de conduta cristalizados na mente feminina por milênios. Aquilo que está impresso há tão longo tempo não pode ser apagado de um minuto para outro. O estigma que atinge a mulher na área ginecológica é decorrência da forma como ela tem sido criada na sociedade moderna, por várias encarnações.

O ciclo vicioso pode ser facilmente quebrado, o que não é fácil é a mulher acreditar que os exercícios podem resolver; acreditar que é vitima de algo muito sério, que sede de seus problemas reside no nível energético e não somático. A descrença Isso a leva à falta de perseverança naquilo que lhe é dito e ensinado a respeito de sua própria natureza; mas que isso não seja um incentivo à conformação. Basicamente o que tem que ser feito é a reintegração da mulher com a Mãe Terra e com a Lua, e, em especial, com a menstruação.

Estatísticas têm mostrado que as parteiras e ginecologistas estão bem menos sujeitas a distúrbios genitais em geral, e especialmente à síndrome da TPM do que as demais mulheres. Justificam dizendo que isso é decorrência delas terem mais acesso aos hormônios, mas a verdade é outra. Elas, pela própria profissão, vivem em contacto com sangue menstrual, o que não condiciona o nojo do seu próprio sangue menstrual. O nojo é uma das causas da desarmonização da mulher com a natureza feminina, e profissionalmente as ginecologias pelo contacto constante não têm o nojo comum à maioria das mulheres.

A mulher no período menstrual tenta se isolar , não quer sair, se divertir, se aproximar das pessoas, especialmente do sexo oposto. Ela deve evitar se considerar uma doente, mas, o inverso se sentir uma pessoa em fase de poder, de quem está plena de energia renovada. Na verdade o período menstrual é quando existe maior poder por ser o momento em que o organismo descarta as energias espúrias, e, consequentemente mais limpo, rico apenas de energia positiva. Isso faz com que ela tenha maior capacidade natural de encanto, e consequentemente de sedução. Evidentemente deve se abster de relacionamento íntimo, mas não de relações sociais. Por certo, com o tempo ela vem se sentir mais sedutora, simpática, e atrativa, entre outras razões porque está se desfazendo de energia espúria acumulada durante um mês e deixando brotar a energia positiva. É no período menstrual que a mulher tem exacerbada a sua sensibilidade que se for direcionada para um objetivo preciso, com certeza não se exteriorizará como irritabilidade, agressividade, mau humor, e por fim depressão. A arte de contornar essas condições está em saber como direcionar a hipersensibilidade. É por conta disso que a mulher pode dar vasão às capacidades criativas. Deve se direcionar no sentido de criações artísticas, poéticas, literárias, artesanais, das mais diversas categorias, enfim de tudo aquilo que lhe dá prazer.  A mulher de conhecimento entende que o seu maior poder energético ocorre naquele período em decorrência da própria hipersensibilidade que vem à tona.

O processo natural não inibe a hipersensibilidade nervosa, apenas a direciona para uma finalidade programada. Toda pessoa tem habilidades e é nessa fase que ela pode ser mais bem aproveitada.

Desde que a pessoa sinta que haverá um favorecimento de sua capacidade criativa no período; que é quando dará vazão à consecução daquilo que gosta muito, então a menstruação esperada como uma coisa gratificante, por ser a ocasião em que será dado prosseguimento àquilo que gosta de fazer. Haverá o aguardo de uma coisa prazerosa. Quando a mente estiver suficientemente adaptada à nova situação, o período menstrual será aquele mais desejado pela mulher; especialmente quando ela começar a sentir que sua produtividade, sua inspiração amplia-se acentuadamente no período. Agindo assim, depois de certo tempo a mulher esperará positivamente a chegada da menstruação porque um período de coroação de seu trabalho, a criatividade; a ocasião em que ela dará vasão a sua produtividade gratificante.

Na verdade a sensibilidade da fase menstrual não desaparecerá como esse exercício, mas por certo deixará de se expressar como Tensão Pré Menstrual, pois ela será totalmente endereçada para a consecução daquilo que a pessoa mais gosta; a mente ficará condicionada ao prazeroso. Agindo assim, depois do tempo necessário, a fase menstrual passará a ser a mais desejável. Haverá paz entre a pessoa e sua função fisiológica.

Uma maga deve aprender a ver e a sentir a energia em todas as coisas.

Até certo ponto a mulher deve proceder como uma gata.
 Esta costuma enterrar os dejetos; é a natureza falando,
 mostrando como a coisa correta deve ser feita.
Em sociedades indígenas o isolamento é comum,
mas a razão é distinta da que acontece nas ditas mulheres

civilizadas.laerciodoegito.com.br

A MÍSTICA DA MENSTRUAÇÃO

As mulheres tendem a ver a menstruação como algo desagradável. Considerando-se o lado eliminativo, o mênstruo em si até pode ser visto assim, mas não propriamente a menstruação; ela é altamente desejável por ser o principal meio de limpeza do organismo. O lixo de uma casa pode ser imundo, mas não se pode considerar com tal o processo de limpeza. Por isso é preciso que a mulher compreenda o sentido oculto da menstruação. De inicio, ela tem que eliminar muitos preconceitos e vê-la como uma coisa boa, desejável, e até mesmo uma benção por lhe conferir superioridade em relação ao homem, e não um processo sujo, nojento, desagradável.

No sentido da reprodução ela é o meio de preparação, a limpeza do “templo” de onde surgira vida manifesta, um processo imprescindível para que a vida continue.  A menstruação, refletem um processo que deve ser sagrado por condicionar vida biológica.

Após a menstruação o poder psíquico da mulher amplia muito. Após a menstruação o organismo está limpo de muitos expurgos energéticos, assim ele está apto para receber muitos registros. Muitos objetivos visados podem ser trabalhados logo no período pós-mentrual, quando o organismo está mais limpo, mais apto a receber registros. Nunca maldiga, portanto, o momento em que estiver menstruada, nunca mais reclame, ao fazer isso se perde uma quantidade enorme de poder. Faça da menstruação um tempo de celebração como mulher.

Nas culturas nativas a menstruação era reconhecida como um “Momento de Poder”, , então era abençoada. Hoje é grande o número de mulheres que sofrem de TPM – Tensão pré-menstrual. Sempre que a pessoa amaldiçoa uma determinada parte do corpo ou função natural ela não pode esperar outra coisa senão desequilíbrio. Nas culturas em que a menstruação era sagrada, e mesmo aceita como algo natural, não existia TPM.

Em muitas culturas havia os Ritos de Passagem, aqueles que marcavam as mudanças biológicas inerentes à idade, entre eles o que marca a passagem da criança à puberdade. E um momento sagrado porque a menina se transforma em mulher. Naquelas culturas era muito importante fazer a menina entender que havia se tornado mulher, o significado dessa mudança e passar a conhecer os deveres que desde então terá de cumprir, e também problemas inerentes à fecundação em período de vida impróprio.

Naqueles rituais nativos era mostrado haver chegado um momento muito importante, havia uma mudança bem significativa, ela já poderia gerar filhos, como a Mãe Terra gera um imenso manancial de coisas.

Em decorrência da Menstruação obedecer às fases lunares e ocorrer nela sangramento, e mais ainda diante do poder que a menstruação confere à mulher então isso contribuiu muito para que o sangue fosse relacionado com a Lua. Para os nativos americanos é dito que a mulher menstruada “está de Lua”. Segundo muitas sociedades são reconhecidas que é no período menstrual que a mulher atinge o seu mais elevado poder espiritual, É o período mais apropriado para o descanso e recolhimento, e para acumular sabedoria.

Em todas as sociedades primitivas, em todas as culturas xamânicas determinados momentos da vida de seus membros são assinaladas por cerimônias especiais, conhecidas como ritos de iniciação, e quando relacionados com a idade eram chamados de ritos de passagem. Essas cerimônias, mais do que representarem uma transição particular para o indivíduo, representava igualmente a sua progressiva aceitação e participação na sociedade na qual estava inserido tendo, portanto, tanto cunho individual quando coletivo. Geralmente, a primeira dessas cerimônias era praticada dentro do próprio ambiente familiar, logo em seguida ao nascimento. Nesse rito, o recém-nascido era apresentado aos seus antecedentes diretos, e reconhecido como sendo parte da linhagem ancestral, quando recebia um nome, previamente escolhido. Alguns anos mais tarde, ao atingir a puberdade, o jovem passava por outra cerimônia especial. Para as mulheres, isso se dava geralmente no momento da primeira menstruação, indicando que, entrando no período de vida fértil ela estava apta para o casamento. Para os rapazes, essa cerimônia geralmente se dava no momento em que ele abatia sua primeira caça.

Os Ritos de Passagem são muito importantes nas tradições antigas, e ainda preservados entre os nativos de muitos paises. Dos 13 aos 14 anos, o menino deixa de ser criança e vira homem, especialmente por ser nessa idade que ele abate sua primeira caça junto com os adultos. Nessa fase é assinalada por um ritual para o novo guerreiro.

A importância energética da menstruação já era conhecida no Antigo Egito e consta de um papiro datando de 1500 a.C. Também muitos registros existem na história antiga da Grécia, e Índia.

Foi Aristóteles quem afirmou ser a menstruação um sinal de inferioridade feminina diante do masculino; o inverso do que diziam as culturas americanas primitivas que acreditavam que as mulheres nesse período estão em estado especial de poder e por isso eram dispensadas de qualquer atividade. Muitos a deixava afastada de muitas atividades por se tratar de um período de limpeza, quando estava eliminando energia espúria, exercendo um importantíssimo papel não somente em sua saúde quando nos demais. O homem não menstrua, portanto ele não dispõe da porta de eliminação menstrual que a mulher tem.

Por não menstruar, o homem geralmente está “intoxicado” pela energia espúria retida, a qual ele descarrega na mulher durante o coito. Ele atua como injetor, descarregando nela espúria que ela posteriormente eliminara na menstruação.

A menstruação não deve ser vista como a via Aristóteles; mas sim como o fazem muitas tradições que têm rica simbologia, que apontavam para a mística da menstruação que girava em torno desse fenômeno energético-biológico, o que ressalta a valorização da mulher e não a sua inferioridade.

www.laerciodoegito.com.

HUMAN FLOWERS

FILHOS COM ASAS E RAIZES

Bendito aquele que consegue dar aos seus filhos asas e raízes”

Precisamos das raízes: existe um lugar no mundo onde nascemos, aprendemos uma língua, descobrimos como nossos antepassados superavam seus problemas. Em um dado momento, passamos a ser responsáveis por este lugar.

Precisamos das asas. Elas nos mostram os horizontes sem fim da imaginação, nos levam até nossos sonhos, nos conduzem a lugares distantes. São as asas que nos permitem conhecer as raízes de nossos semelhantes, e aprender com eles.

Laura enviou esta Mensagem

QUEM É O VERDADEIRO CULPADO?

"O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos." Oséias 4: 6
"Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará sem dúvida com alegria, trazendo consigo os seus molhos." Salmo 126: 5-6

A filha de Billy Graham estava sendo entrevistada no Early Show e Jane Clayson perguntou a ela: - Como é que DEUS teria permitido algo horroroso assim acontecer no dia 11 de setembro?

Anne Graham deu uma resposta extremamente profunda e sábia. Ela disse: "Eu creio que DEUS ficou profundamente triste com o que aconteceu, tanto quanto nós. Por muitos anos nós temos dito para DEUS não interferir em nossas escolhas, sair do nosso governo e sair de nossas vidas. Sendo um cavalheiro como DEUS é, eu creio que Ele calmamente nos deixou. Como poderemos esperar que DEUS nos dê a Sua bênção e Sua proteção se nós exigimos que Ele não se envolva mais conosco?"

Eu creio que tudo começou desde que Madeline Murray O' Hare (que foi assassinada e seu corpo encontrado recentemente), se queixou de que era impróprio se fazer oração nas escolas americanas como se fazia tradicionalmente, e nós concordamos com a sua opinião. Depois disso, alguém disse que seria melhor também não ler mais a Bíblia nas escolas... A Bíblia que nos ensina que não devemos matar, não devemos roubar, e devemos amar o nosso próximo como a nós próprios. E nós concordamos.

Logo depois, o Dr. Benjamin Spock disse que não deveríamos bater em nossos filhos quando eles se comportassem mal, porque suas personalidades em formação ficariam distorcidas e poderíamos prejudicar sua auto-estima. (O filho do Dr. Spock cometeu suicídio) E nós dissemos: "um perito nesse assunto deve saber o que está falando", e então concordamos com ele.

Depois alguém disse que os professores e os diretores das escolas não deveriam disciplinar os nossos filhos quando eles se comportassem mal. Os administradores escolares então decidiram que nenhum professor em suas escolas deveria tocar em um aluno quando se comportasse mal, porque não queriam publicidade negativa, e não queriam ser processados. (Há uma grande diferença entre disciplinar e tocar, bater, dar socos, humilhar e chutar, etc.) E nós concordamos com tudo.

Aí alguém sugeriu que deveríamos deixar que nossas filhas fizessem aborto, se elas assim o quisessem, e que nem precisariam contar aos pais. E nós aceitamos essa sugestão sem ao menos questioná-la.

Em seguida algum membro da mesa administrativa escolar muito sabido disse que, como rapazes serão sempre rapazes, e que como homens iriam acabar fazendo o inevitável, que então deveríamos dar aos nossos filhos tantas camisinhas quantas eles quisessem, para que eles pudessem se divertir à vontade, e que nem precisaríamos dizer aos seus pais que eles as tivessem obtido na escola. E nós dissemos, "está bem".

Depois alguns dos nossos oficiais eleitos mais importantes disseram que não teria importância alguma o que nós fizéssemos em nossa privacidade, desde que estivéssemos cumprindo com os nossos deveres. Concordando com eles, dissemos que para nós não faria qualquer diferença o que uma pessoa fizesse em particular, incluindo o nosso presidente da República, desde que o nosso emprego fosse mantido e a nossa economia ficasse equilibrada.

Então alguém sugeriu que imprimíssemos revistas com fotografias de mulheres nuas, e disséssemos que isto é uma coisa sadia, e uma apreciação natural da beleza do corpo feminino. E nós também concordamos.

Depois uma outra pessoa levou isto um passo mais adiante e publicou fotos de crianças nuas e foi mais além ainda, colocando-as à disposição na Internet. E nós dissemos, "está bem, isto é democracia, e eles têm direito de ter a liberdade de se expressar e fazer isso".

A indústria de entretenimento então disse: "Vamos fazer shows de TV e filmes que promovam profanação, violência e sexo ilícito. Vamos gravar música que estimule o estupro, drogas, assassínio, suicídio" E nós dissemos: "Isto é apenas diversão, e não produz qualquer efeito prejudicial. Ninguém leva isso a sério mesmo, então que façam isso!"

Agora nós estamos nos perguntando por que nossos filhos não têm consciência, e por que não sabem distinguir entre o bem e o mal, o certo e o errado, por que não lhes incomoda matar pessoas estranhas ou seus próprios colegas de classe ou a si próprios... Provavelmente, se nós analisarmos tudo isto seriamente, iremos facilmente compreender: Nós colhemos exatamente aquilo que semeamos!

Uma menina escreveu um bilhetinho para DEUS, dizendo: "Senhor, por que não salvaste aquela criança na escola?" A resposta Dele seria: "Querida criança, não me deixam entrar nas escolas!" Do Seu DEUS.

É triste como as pessoas simplesmente culpam DEUS e não entendem por que o mundo está indo a passos largos para o inferno. É triste como cremos em tudo que os jornais e a TV dizem, mas duvidamos do que a Bíblia nos diz. É triste como todo o mundo quer ir para o céu, desde que não precise crer, nem pensar ou dizer qualquer coisa que a Bíblia ensina. É triste como alguém diz: "Eu creio em DEUS".

É engraçado como somos rápidos para julgar mas não queremos ser julgados! Como podemos enviar centenas de piadas pelo email, e elas se espalham como fogo, mas quando tentamos enviar algum email a respeito de DEUS, as pessoas têm medo de compartilhar e re-enviá-lo a outros! É triste ver como o material imoral, obsceno e vulgar corre livremente na Internet, mas uma discussão pública a respeito de DEUS é suprimida rapidamente na escola e no trabalho. É triste ver como as pessoas ficam inflamadas a respeito de Cristo no domingo, mas depois se transformam em cristãos invisíveis pelo resto da semana. Você está achando graça? Você mesmo pode não querer re-enviar esta mensagem a muitos da sua lista de endereços porque você não tem certeza a respeito de como a receberão, ou do que pensarão a seu respeito, por lhes ter enviado. Não é verdade? Gozado que nós nos preocupamos mais com o que as outras pessoas pensam a nosso respeito do que com o que DEUS pensa...

Passe esta mensagem para a frente, se acha que ela tem algum mérito. Se não, ignore-a. Que DEUS nos abençoe

http://www.sitedopastor.com.br/