quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

PARÁBOLA SOBRE O BAMBU

ESPÍRITO DO BAMBU

Num lugar distante, havia um lindo bambuzal. O vento soprava sereno e a brisa mansa permitia que o bambuzal se movimentasse desordenadamente de um lado para o outro, servindo para refrescar todo ambiente e movimentar com todas energias que estavam paradas.

E como todo bambuzal tem um dono, esse não era diferente: o dono desse bambuzal nesse dia coincidentemente chegou junto com o vento.  Qual foi a surpresa do bambuzal em ver o seu dono, todos naquele instante ficaram cheios de alegria e destemor, pois aquele que cuidava com tanto carinho deles chegava com seu sorriso para olhar sua estimada plantação. Porém havia no mesmo lugar ao lado um campo ermo, de difícil plantação, terra ressequida pertencente ao mesmo dono.

No bambuzal existia um bambu que era muito bonito, vivaz e sobressaia dos outros. Existia nele uma especial diferença sobre os outros bambus. Mas tudo era natural nele e, sua dedicação ao dono, o tornava cada vez mais diferente e bonito.E muitas vezes incomodava os outros bambus. A felicidade desse bambu era ver seu dono chegando e contemplando-o com entusiasmo.

Porém, num certo dia de ventania, foi surpreendido por seu dono tão querido numa proposta que há muito tempo esperava. Era chegada a hora do bambu servir e com a mesma dedicação que tinha desde o seu nascimento. O dono do bambu chegou lá pelas 5 horas da tarde, olhou seu bambu amado, acariciou-o e lhe disse:

BAMBU AMADO ,
CHEGOU O SEU TEMPO DE ME SERVIR E, ESTE É O MOMENTO”

O bambu ficou entusiasmadíssimo com tal proposta
e na intensidade que amava o dono, apressou-se em dizer:
“SIM AMADO DONO, SE A HORA É CHEGADA. EU ESTOU AQUI!”

O dono sabia desse "sim" e, logo amou mais ainda o bambu
Ele teve que lhe falar sobre esse serviço especial e continuou dizendo:
“MAS PARA QUE ME SIRVA, BAMBU AMADO,
TENHO QUE LHE TIRAR DO LUGAR EM QUE VOCÊ ESTÁ!”

O bambu estranhou pois sabia que isso iria prejudicá-lo muito,
mas no mesmo instante disse ao dono:
"SABE DAS COISAS MEU DONO, E SABE DE MIM, ME ALEGRO
E FAÇA COM QUE EU LHE SIRVA BEM!"

O dono mais alegre ainda continuou:
'BAMBU AMADO, NÃO BASTA QUE TE ARRANQUE DE SEU LUGAR
MAS VOU PRECISAR CORTÁ-LO COM UM FACÃO PARA PARTÍ-LO AO MEIO!'

Surpreso, o bambu tentou entender a proposta e começou entristecer, pois sua beleza, seu encanto, sua firmeza, seu apoio, tudo seria tirado e, sua natureza de bambu não existiria mais. Porem, triste e sem entender encheu-se de alegria já comprometida, porém pensando na satisfação que seu dono teria com mais um SIM e não pensou e disse:

"SE ASSIM É QUE PRECISAS DE MIM
QUE EU POSSA LHE ALEGRAR, EIS-ME AQUI. PRONTO!"

O dono sabia disso e, percebia que o bambu não estava tão alegre quanto o inicio da conversa mas, sabia da fidelidade do amado bambu. Não obstante, o dono lhe disse sem muitas palavras:

'AMADO BAMBU, MESMO QUE ME SIRVA AINDA PRECISO DIZER:
NÃO LHE BASTA QUE O ARRANQUE E O CORTE COM UM FACÃO,
É PRECISO QUE EU O SEQUE E DESCARACTERIZE TEUS JEITOS DE BAMBU,
TUA BELEZA E MESMO TODA TUA ALEGRIA!'

O bambu, no silencio entristecido, derramava uma lágrima de dor profunda e de desentendimento. Já não sabia mais o porque disso tudo nem o porque de seu dono lhe queria assim. O maior sofrimento do bambu era por não entender esse amor que criou, permitiu que fosse o mais lindo e vistoso e de uma hora pra outra lhe pedia a própria morte. Qual foi sua surpresa antes de responder ao dono, o mesmo indagou:

'MAS AMADO BAMBU, MESMO DEPOIS DISSO TUDO
VOU PRECISAR TIRA-TE A VIDA E NUNCA MAIS SERÁS UM BAMBU!'

Foi nesse instante que o bambu simplesmente parou
e não disse uma só palavra. Silenciou. Mas seu dono continuou

"CONTUDO, BAMBU AMADO, VOU ARRANCAR-LHE O CORAÇÃO
E TUDO O QUE NELE TEM, GUARDAREI ETERNAMENTE COMIGO
E NUNCA ELE ME SERÁ ROUBADO. DE TUA CASCA
TIRAREI O MELHOR: TEU CORAÇÃO...TEU TESOURO...TUA VIDA...
SERÁS MAIS MEU DO QUE NESSA CONDIÇÃO DE BAMBU!"

Foi aí que o pobre bambu não entendeu os motivos do dono, mas o tipo de Amor que seu dono tinho por ele. Eles se amavam, e, sustentado por esse desentendimento que compreende todas as coisas, o bambu se voltou em prantos mas com um suave e sereno e lhe disse bem baixo mas convictamente:

'EU COMPREENDO QUE ME ENTENDES.
E TANTO QUE ME ROUBAS O MELHOR!
SOU TEU PRISIONEIRO E FAZ DE MIM O QUE PRECISAS!'

Foi aí que o dono consumou seus desejos: Arrancou o bambu, cortou-lhe ao meio com um facão, secou-o e descaracterizou-o e já sem nenhuma vida  física lhe tirou o coração e guardou-o consigo para que nunca mais fosse roubado!

E o que era um vistoso e lindo bambu se tornava dois simples pedaços de coisa ressecada .Contudo, aquele nada se tornava o veículo de água para que se levasse umidade a muitas plantações da rica fazenda e, assim o saudoso bambu que era o bem mais precioso o dono tinha, teve grande utilidade para seu dono.

Acredito que o dono também chorava nesse instante até de saudade do bambu mas tinha seu coração guardado e isso bastava ao dono
semfronteirasparaosagrado.blogspot.com