quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

HUMANOS WIRELESS HUMANO SE TRANSFORMA EM UMA ANTENA


Recentemente um grupo de cientistas irlandeses lançou o conceito de humanos wireless, em que cada pessoa se transforma em uma antena de redistribuição de sinais de uma super "rede corpo a corpo".

Agora, pesquisadores croatas lançaram a ideia de usar esse mesmo conceito de compartilhamento, já difundido pelas redes sociais, para beneficiar o hardware de cada usuário.

Segundo eles, é possível reduzir o consumo das baterias de celulares, notebooks e outros aparelhos móveis em até 75%. O segredo de tamanho "milagre" está no compartilhamento dos dados usados pelos usuários de cada localização geográfica.

Enquanto os sites de relacionamento, como Facebook, MySpace, LinkedIn e Twitter formam redes explícitas, Vedran Podobnik e seus colegas da Universidade de Zagreb estão propondo uma "rede implícita", uma rede que congregue usuários que estão fisicamente próximos uns aos outros e compartilhem interesses similares.

A rede implícita depende tanto do contexto do usuário - sua localização geográfica - quanto de suas preferências - o conteúdo que ele acessa.

Colocando uma camada intermediária [middleware] de software entre o provedor e os usuários, é possível minimizar a largura de banda utilizada por um grupo determinado - que não precisará se conhecer e nem tomar qualquer providência explícita para se engajar na rede ou se desligar dela.

O ganho de energia vem do uso das conexões Bluetooth ou Wi-Fi, que são mais eficientes em termos de consumo de energia, entre os usuários que se encontram próximos.

"O sistema identifica os usuários móveis que estão próximos uns dos outros e que estão interessados no mesmo conteúdo de multimídia," explica Podobnik. "Cada usuário vai baixar apenas uma parte daquele conteúdo da sua rede normal e então compartilhá-lo com os outros usuários de sua localização por meio de redes ad hoc Bluetooth ou Wi-Fi."

Ou seja, o "grupo social" de que cada usuário faz parte depende de onde ele se encontra em cada momento: ele pode rapidamente passar da "rede da escola" para a "rede do ponto de ônibus" e até mesmo para a "rede do ônibus". É claro que é possível para cada usuário configurar sua participação nessas "redes fluidas".

As simulações feitas pelos pesquisadores, usando um sistema parecido com as redes de compartilhamento de arquivos, mostrou que os usuários poderão economizar até três quartos da bateria dos seus aparelhos tirando proveito do conteúdo que outros usuários nas proximidades já baixaram.

"Isto prova que os agentes de software representar uma solução adequada para implementar um middleware que viabilize as redes sociais para usuários no domínio das redes móveis," diz o pesquisador.

No experimento de teste, os pesquisadores croatas verificaram que a camada intermediária de software, que cria uma rede sobreposta [em overlay] sobre a rede móvel real, permite que os usuários definam e configurem suas relações com os outros usuários, estabeleçam relações para planejar e gerenciar eventos que serão acompanhados pelo grupo e criem "listas de desejos", para disponibilizar determinado conteúdo multimídia quando vários usuários se interessarem por ele.

Site Inovação Tecnológica

Nenhum comentário: